© 2016, Bela Dias. Todos os direitos reservados.
  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • Instagram - cinza Círculo

Dia Nacional do Escritor

Os escritores nacionais que marcaram épocas e gerações

 

 

 

Cora Coralina

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Fiz a escalada da montanha da vida removendo pedras e plantando flores."

 

Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, mais conhecida como Cora Coralina, nasceu no dia 20 de agosto na Cidade de Goiás. Uma ilustre escritora goiana, era poetisa, contista e trabalhava como doceira.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cora só publicou seu primeiro livro quando tinha por volta de 76 anos de idade, o Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais. Não poderia deixar de mencionar a minha conterrânea que fez tanta história e até hoje encanta com suas palavras.

 

Recentemente, foi lançado um documentário que conta a história dessa mulher simples, que conquistou a todos justamente por isso, a sua simplicidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Machado de Assis

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exata e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e me fizeram. Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá ideia daquela feição nova. Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca."

(Dom Casmurro)

 

 

Joaquim Maria Machado de Assis, ou simplesmente Machado de Assis, foi e é um dos maiores e mais conhecidos escritores brasileiros. São tantos títulos que saíram de suas mãos e que viraram clássicos, como Dom Casmurro, Memórias Póstumas de Brás Cubas e Quincas Borba.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma vez, uma pessoa muito querida me disse que se eu quisesse escrever bem, eu deveria ler Machado de Assis. E não é a toa não! Todos nós devemos ler sim Machado de Assis!

 

 "Por que bonita, se coxa? Por que coxa, se bonita? "

 

 

Clarice Lispector

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"-Cuidado com as preocupações, dizem que dá ferida no estômago."

(A Hora da Estrela)

 

Antes de tudo, preciso dizer que amo essa foto dela. Como diz Shonda Rhimes em seu livro, O Ano em que Disse Sim, ela está cheia de "duroneza"!

 

Clarice (olha a íntima) nasceu na Ucránia, mas foi naturalizada brasileira. Foi escritora e jornalista. Escreveu livros como A Hora da Estrela (romance), Laços de Família (contos) e Felicidade Clandestina (contos).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ela se considerava pernambucana e foi, com toda certeza, uma grande escritora com um estilo único de escrita.

 

O Fantástico fez, há alguns anos atrás, um quadro chamado Correio Feminino, inspirado na personagem criada pela Clarice, a Helen Palmer.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gonçalves Dias

"Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá; [...]"

(Canção do Exílio)

 

Em 23 de agosto de 1823, nasceu no Maranhão, filho de índia mestiça com comerciante branco, Gonçalves Dias. Ele elegeu o índio brasileiro como cavaleiro de nossas terras, em um momento que o brasileiro precisava de algo para se orgulhar. O Brasil era independente não tinha nem 50 anos e Gonçalves Dias conseguiu se orgulhar, do que para nós era o mais simples.

 O Pescador de Tarsila do Amaral

 

Não eram das rosas nem das moças esguias de que ele falava, mas sim das palmeiras com sabiás e de índias fortes. Bem, Gonçalves nos deu a maior parte de nosso pequeno patriotismo. Mesmo que você não seja índio, pois todos cantamos um mesmo hino, e se não fosse por ele nossos bosques não teriam tanta vida nem nossa vida, tantos amores.

 

Além de Canção do Exílio, ele também escreveu I Juca Pirama.

 

 

Carolina Maria de Jesus

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Carolina Maria de Jesus nasceu em 1914 no estado de Minas Gerais e é conhecida como uma das primeiras e também mais significativas escritoras negras do país. 

 

Ela trabalhava como catadora de lixo e escrevia sobre sua vida morando na favela em cadernos que ela encontrava no lixo. Seu primeiro livro, Quarto de Despejo: Diário de uma Favela, nasceu desses relatos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Carlos Drummond  de Andrade

 

 

"No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho"

(No Meio do Caminho)

 

Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira no ano de 1902. Foi o poeta, contista e cronista brasileiro mais influente do século XX. Fez parte da Segunda Fase do Modernismo.

 

Suas obras mais famosas são: Antologia Poética (1962), Sentimento do Mundo (1940) e A Rosa do Povo (1945).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cecília Meireles

 

"Eu não tinha este rosto de hoje,
Assim calmo, assim triste, assim magro,
Nem estes olhos tão vazios,
Nem o lábio amargo." 

(Retrato)

 

Cecília Meireles nasceu em 1901 e foi uma jornalista, pintora, professora e escritora brasileira. Foi criticada em um período da sua carreira e até chamada de alienada, pois em plena Segunda Guerra Mundial ela escrevia sobre temas como a efemeridade da vida (como é visto no poema acima).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 1953, ela lançou o livro Romanceiro da Inconfidência, que tratava da Inconfidência Mineira.

 

 

Jorge Amado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Então a luz da lua se estendeu sobre todos, as estrelas brilharam ainda mais no céu, o mar ficou de todo manso (talvez que Iemanjá tivesse vindo também ouvir a música) e a cidade era como que um grande carrossel onde giravam em invisíveis cavalos os Capitães da Areia."

(Capitães da Areia)

 

Jorge Leal Amado de Faria nasceu na Bahia em 1912. É o autor que teve várias de suas obras adaptadas no cinema e na televisão. O exemplo mais famoso é a Gabriela, Cravo e Canela.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Essa obra já teve três adaptações na televisão, sendo a de 2012 a mais recente.

 

"A espiá-la, um espanto sem limites, como tanta boniteza se escondera sob a poeira dos caminhos? Caído o braço roliço, o rosto moreno sorrindo no sono, ali, adormecida na cadeira, parecia um quadro. Quantos anos teria? Corpo de mulher jovem, feições de menina."

(Gabriela, Cravo e Canela)

 

Jorge Amado tinha uma escrita descritiva, cheia de metáforas e muito sentimental. Capitães da Areia foi um dos melhores livros que eu já na vida. Por isso, vale muito a pena conhecer mais o trabalho desse escritor inigualável.

 

 

Então, essa é a lista feita para homenagear alguns dos grandes escritores brasileiros!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foi o primeiro post que fiz com ajuda de dois amigos, o Maurício de Sousa e a Mariana Bessa, agradeço muito a ajuda dos dois!

 

 

 

Antes de finalizar, vai aí um trechinho do meu livro, Os Últimos Dias:

 

 

"– Para onde estamos indo? – ele quis saber.

– Vamos para o telhado observar as nuvens. Quero ver quantos formatos diferentes você consegue identificar.

– Eu nunca fiz isso. É legal?

– Muito.

Estiquei o lençol que trouxemos e nos deitamos. O céu estava coberto de nuvens de diversos formatos e tamanhos, como se estivesse nos esperando para observá-lo.

– Está vendo aquela ali? – disse, apontando na direção em que a nuvem está.

– Parece um “algodãozão”! – falou ele, animado.

Eu ri do seu mais novo neologismo. Ele era a criança com o maior vocabulário que eu já conheci."

 

 

 

E espero que tenham gostado!

 

Beijos,

 

Bela

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

Arquivo

O primeiro capítulo do meu livro

August 16, 2017

1/10
Please reload

Posts em Destaque
Procurar por tags
Please reload

  • Face
  • Twitter
  • Insta

Quer saber mais sobre

a história do livro?

Leia a sinopse!